Brasil: Centro entrevista mulheres lideranças Krenak e do Movimento dos Atingidos por Barragens sobre responsabilidade das empresas na tragédia do Rio Doce

Gesteira Minas Gerais_credit_Julia Neiva
 
O Centro de Informação sobre Empresas e Direitos Humanos teve a oportunidade de conhecer e conversar com comunidades atingidas pela tragédia do Rio Doce em Mariana e Gesteira/Barra Longa. A tragédia completou um ano no dia 5 de novembro de 2016 e foi causada pelo rompimento da barragem do Fundão, pertencente à Samarco, joint-venture da Vale e BHP Biliton. 19 pessoas morreram e o rompimento da barragem é considerado o pior desastre da história do país.
 
Durante o seminário Rio de Gente, organizado pelo Greenpeace, em 31 de outubro e 1o de novembro de 2016, o Centro entrevistou duas grandes lideranças mulheres que contaram brevemente sobre os impactos socioambientais causados pela tragédia. 
 
Em relato emocionante e profundo, Shirley Krenak, liderança Krenak na região de Regência, falou de como seu povo foi atingido pela tragédia mudando completamente o modo de vida dos Krenak. Não podem exercer sua cultura e religião da mesma forma que anteriormente pois o rio está poluído: não podem pescar, nadar, realizar atividades recreativas com as crianças e nem práticas religiosas. Lembrou que os Krenak lutam não só agora mas há anos contra a tragédia anunciada resultado da mineração. Letícia Oliveira, liderança do Movimentos dos Atingidos por Barragens, comentou sobre a responsabilidade das empresas envolvidas no caso, alegando que consideram de fato um crime. Ambas alegaram que um ano depois da tragédia muito pouco foi feito de fato para atender as necessidades e direitos violados das populações atingidas. Desde relatos de falta de indenização, os problemas no fato das empresas serem responsáveis por decidir quem deve ser considerado ou não atingido, direitos humanos básicos violados. E a lama continua escorrendo, afirmou Shirley.
 
Veja abaixo seus relatos. E também notas e comentários das empresas.
 
Para mais informações sobre as ações judiciais contra as empresas, veja aqui.
 
Para ler esta história em inglês, clique aqui.
Receba RSS dos resultados

Todos os componentes dessa história

Artigo
22 November 2016

Brasil: Centro entrevista Shirley Krenak, liderança Krenak, sobre os impactos da tragédia do Rio Doce a sua comunidade

Autor: Júlia Mello Neiva, pesquisadora sênior e representante para o Brasil, Portugal e países africanos de língua portuguesa, Centro de Informação sobre Empresas e Direitos Humanos

[Em sua entrevista concedida em Mariana, no dia 31 de outubro de 2016, Shirley comenta sobre os impactos do rompimento da barragem do Fundão ao povo Krenak]

Leia a postagem completa aqui

Artigo
21 November 2016

Centro entrevista Letícia Oliveira, liderança do MAB, sobre a responsabilidade das empresas em relação a violações de direitos humanos decorrentes do rompimento da barragem

Autor: Júlia Mello Neiva, pesquisadora sênior e representante para o Brasil, Portugal e países africanos de língua portuguesa, Centro de Informação sobre Empresas e Direitos Humanos

[Em sua entrevista concedida em Mariana, no dia 31 de outubro de 2016, Letícia Oliveira, liderança do MAB, comenta sobre a responsabilidade das empresas em relação aos impactos e violações de direitos humanos decorrentes do rompimento da barragem do Fundão]

Leia a postagem completa aqui

Item
21 November 2016

Vale: relação com indígenas

Autor: Vale (Brazil)

[Página da mineradora Vale em relação a sua relação com indígenas, incluindo os Krenak]

Leia a postagem completa aqui

Artigo
2 November 2016

Brasil: Greenpeace e projeto Rio de Gente reúnem pesquisadores independentes para apresentar estudos e discutir a recuperação do Rio Doce

Autor: Greenpeace Brasil

“Seminário apresenta novos dados sobre desastre em Mariana-Greenpeace e projeto Rio de Gente reúnem pesquisadores independentes para apresentar estudos e discutir a recuperação do Rio Doce”, 24 de outubro de 2016

“É possível recuperar o Rio Doce e a vida dos que dele dependem?”. É o que pesquisadores de diferentes áreas de estudo – água, fauna, flora, impactos sociais e direitos dos atingidos – vão responder no Seminário Rio de Gente...entre os dias 31/10 e 1/11, em Mariana (MG). O evento é promovido um ano após o maior desastre ambiental do Brasil pelo Greenpeace em parceria com o projeto Rio de Gente e apoio da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Seis times de pesquisadores independentes de universidades brasileiras, como Esalq/USP, UFRJ, UFBA, UFMG e UFES, se reunirão em Mariana...com outros especialistas e as comunidades atingidas, além de estudantes, jornalistas e formadores de opinião, para apresentar os resultados parciais de seus estudos após seis meses de análises de campo...[S]ão financiados por recursos de doação...[de]...shows beneficentes...O seminário, aberto a todos e com inscrição gratuita, abre uma semana inteira de mobilização na região para lembrar a todos dos desdobramentos dessa tragédia...

Leia a postagem completa aqui

Artigo
2 November 2016

Samarco: Rio Doce

Autor: Samarco (Brazil)

[Página da mineradora Samarco em relação a medidas tomadas sobre o desastre causado pelo rompimento da barragem do Fundão]

Leia a postagem completa aqui

Item
15 July 2016

Samarco/Vale: Rio Doce

Autor: Vale (Brazil)

[Página da mineradora Vale em relação a medidas tomadas sobre os impactos relativos à poluição da água, relacionados ao desastre no Rio Doce]

Leia a postagem completa aqui

Resposta
29 June 2016

Brasil: Resposta da Samarco, BHP Biliton e Vale sobre o acordo com governo em relação ao desastre causado por rompimento da barragem de Mariana em 2015

Autor: Samarco, Vale e BHP Biliton

“Nota de Esclarecimento – Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (Acordo Quadro) 
Samarco Mineração S.A.”, 
23 De Junho De 2016

O rompimento da Barragem de Fundão em…2015…ocasionou graves impactos ao meio ambiente e à sociedade…Samarco…[,]…BHP Billiton…e…Vale…lamentam…e solidarizam-se com…[o]s…impactad[o]s…[A]…Samarco tem se empenhado…para que as medidas reparatórias e compensatórias observem o direito das pessoas impactadas…em conformidade com as normas internacionais e as expectativas da sociedade...A proteção dos direitos fundamentais das pessoas impactadas foi o princípio basilar que conduziu…[a]…concepção do Acordo Quadro…[A]…participação ativa dos indivíduos afetados…foi contemplad[a]…nas regras de governança da Fundação…privad[a]…que será constituíd[a]…para a execução, manutenção e gestão dos programas e ações…O Acordo…busca promover e incrementar o exercício do direito de consulta e participação das comunidades de forma a superar as limitações à participação pública existentes antes de sua assinatura… Cláusula 7, c)…[diz]…: “transparência e engajamento das comunidades nas discussões sobre as ações”. O direito de participação na concepção e implementação dos Programas também está garantido nas Cláusulas 10 e 11…Nas Cláusulas 59 a 72 há também Programa dedicado à Comunicação, Participação, Diálogo e Controle Social…[F]oram realizadas mais de 330 reuniões públicas e abertas…com mais de 13.000 participantes…[O]...Acordo…não limita às pessoas afetadas o direito de acesso a mecanismos judiciais e extrajudiciais de resolução de conflitos…

Baixe o documento inteiro aqui

Artigo
15 November 2015

Brasil: Krenak fecham ferrovia da Vale em protesto pelo desastre do Rio Doce; empresa fala em negociação & relação de transparência e participação com os Krenak

Autor: Luis Kawaguti e Ricardo Senra, BBC Brasil (Brazil)

“Índios fecham ferrovia da Vale em MG em protesto contra 'morte de rio sagrado'-”,15 novembro 2015

..."...Somos um só, a gente e a natureza, um só", diz...[Geovani Krenak, líder da tribo Krenak]..."Morre rio, morremos todos". Parte dos 800 km de extensão do rio Doce, contaminado pela lama espessa que escoa há 10 dias de duas barragens de rejeitos da...Samarco, em MG, atravessa a reserva da tribo. Tida como sagrada há gerações, toda a água utilizada por 350 índios para consumo, banho e limpeza vinha dali. Não mais. Sem água há mais de uma semana, sujos e com sede,...decidiram interromper em protesto a Estrada de Ferro Vitória-Minas, por onde a Vale, controladora da Samarco e da ferrovia, transporta seus minérios para exportação. "Só saímos quando tiverem a dignidade de conversar com a gente. Destruíram nossa vida, arrasaram nossa cultura, e nos ignoram. Não aceitamos”, anuncia...Aiá Krenak...[A]... Vale informa que "continua, com apoio da Funai, as tentativas de negociação com o Povo Indígena Krenak para liberação da ferrovia...[C]omo acionista da Samarco...com a BHP Billiton, tem atuado ativamente nas ações para atendimento às famílias afetadas pelo acidente do dia 5 de novembro e reitera seu compromisso em se relacionar com o Povo Krenak de modo transparente e participativo, mantendo uma relação construtiva, respeitando suas características próprias e a legislação vigente"...[A]firm[ou]...que a interdição está impedindo o transporte de água para...comunidades da região do Rio Doce...

Leia a postagem completa aqui